Marketing

Os 4 Ps do Marketing: entenda o conceito e suas aplicações!

Tempo de leitura:

Você sabe como os 4 Ps do Marketing podem alavancar as vendas de sua empresa?

4 Ps do Marketing

O universo do Marketing Digital é vasto, contando com uma quantidade massiva de conceitos. Especialmente com a expansão de novas mídias e redes sociais, assuntos nascem na área a todo momento.

No entanto, existem alguns temas que se destacam nesse setor. Questões essenciais que todo profissional deve conhecer de cor e dominar. Com toda certeza, os 4 Ps do Marketing é um desses assuntos, servindo como uma excelente base para qualquer estratégia e projeto. 

Mesmo com toda a evolução tanto da internet quanto do Marketing, os 4 Ps permanecem relevantes e importantíssimos para o seu negócio. E esse papel de protagonismo em um planejamento acontece por um motivo: eles definem a maneira que a marca irá chegar no target e atuar no mercado. 

Quer saber mais sobre esse assunto? Nesse artigo, vamos te mostrar tudo que você precisa saber sobre os 4 Ps do Marketing. 

 

O que são os 4 Ps do Marketing?

Os 4 Ps caracterizam definições de quatro pilares básicos em qualquer estratégia de marketing: preço, produto, praça e promoção. 

Philip Kotler, grande guru do marketing e que popularizou o conceito dos 4 Ps, defende que esses elementos são variáveis e dependem diretamente da organização interna da empresa. Na hora da organização da estratégia, eles são definidos para influenciar as respostas do público-alvo.

Devemos destacar também que os 4 Ps são variáveis interdependentes, visto que cada uma precisa da outra para obter os resultados desejados. É por esse motivo que as quatro devem ser mensuradas e organizadas em conjunto. Lembre-se: o alinhamento dos 4 Ps garantirá que a imagem da marca seja sempre única e relevante. 

 

Conheça os 4 Ps do Marketing 

Agora que explicamos o que são os 4 Ps do marketing, a origem do termo e a importância para sua marca, podemos avançar para o próximo passo. Afinal, quais são as características particulares de cada um dos Ps? 

Confira abaixo!

Produto 

O produto é basicamente a essência, o centro das operações de uma empresa. Afinal, estamos falando do item responsável por movimentar as ações do negócio. Sem a presença dele, não tem o que divulgar e vender. Simples assim. 

E não, quando falamos de produto, não nos limitamos somente aos físicos. Serviços, ideias e características que definem a identidade de um negócio também são considerados produtos. 

Considerando esses fatos, nossa missão é compreender que os produtos são um mix de objetos e serviços vendidos pela instituição. 

Para começar a planejar e definir seu mix de produtos, você pode se fazer os seguintes questionamentos:

  • O produto é físico ou digital? 
  • Quais as características do produto? Cores, tamanho, estilo?
  • Seu produto tem um objetivo?
  • Qual é o público-alvo?
  • Qual é a melhor maneira de usá-lo?
  • Seu produto conta com um diferencial para competir com os concorrentes?
  • O nome do produto pode ser interligado com a identidade da marca?

Preço

O próximo elemento dos 4 Ps do marketing é o preço. Esse item consiste no preço que deverá ser pago pelo consumidor no momento de adquirir o produto. Em outras palavras, o elemento preço será a base que garantirá o sustento do negócio. 

Mas afinal, qual a melhor maneira de definir o preço de seu produto? Já adiantamos que é necessário contar com uma mentalidade estratégica. O primeiro passo é escolher um valor atrativo, que faça o cliente se mostrar disposto a comprar. Se você colocar seus serviços muito caros, a tendência é que as taxas de compra sejam menores. Como consequência, o lucro diminui.

A segunda etapa é fazer a relação entre o valor e custo-benefício do produto. Afinal, o seu produto precisa valer o preço cobrado. Dessa maneira, se você deseja vender a um preço alto, o cliente deve conseguir visualizar os pontos que tornam o negócio positivo. 

Abaixo, destacamos alguns itens que você precisa botar na balança na hora de precificar seu produto. Confira:

  • Considerar descontos;
  • Política de crédito;
  • Períodos de pagamento;
  • Métodos de precificação e estratégias.

Praça

O próximo elemento é a praça. Sim, o significado desse P é exatamente o que parece: o espaço em que as dinâmicas de venda acontecem. No contexto dos negócios, quer dizer o local em que o produto é vendido, fora os canais de distribuição que entregam a mercadoria para o consumidor final. 

Importante ressaltar que a praça pode ser tanto um local físico quanto virtual. Afinal, os e-commerces ganham cada vez mais espaço no mercado, especialmente na realidade pós-pandemia. E a tendência é que aumente ainda mais. Segundo pesquisas da Mundi Map e E-commerce Brasil, o esperado é que a área cresça 56% no país até 2024. 

Devemos frisar que o lucro e as melhorias na sua receita são pontos que dependem diretamente da praça. A velocidade e facilidade em que o produto chegará ao consumidor ditará a satisfação com os serviços prestados pela marca. Como consequência, as possibilidades do cliente se fidelizar após um negócio bem sucedido são consideravelmente maiores. 

Abaixo, separamos alguns itens que definem um mix de distribuição produtivo:

  • Armazenamento;
  • Manuseio correto dos produtos;
  • Canais de distribuição e pontos de venda;
  • Transporte;
  • Controle de estoque e inventário;
  • Rápido processamento de pedidos.

Promoção 

Por fim, temos a promoção. Diferente do que muitas pessoas acreditam, esse item não está somente ligado a liquidações e cortes nos preços. A promoção vai muito além das ofertas, representando tudo que promove a marca e o produto. Em outras palavras, esse P visa convencer o cliente de que realizar aquela compra é a atitude mais lógica e racional possível. 

Para ter uma promoção realmente efetiva, a principal chave é divulgar uma mensagem que atinja seu público alvo. Algo que crie identificação, interesse ou curiosidade nos targets. E é nesse cenário que estratégias como inbound e outbound marketing surgem. 

Dentre as formas de promoção mais populares, destacamos:

  • Relações públicas;
  • Outbound;
  • Inbound e marketing digital, como email marketing, redes sociais e blogs;
  • Publicidade e propaganda;
  • Promoções e liquidações. 

Como surgiram os 4 Ps do Marketing?

Como destacamos anteriormente, a estratégia 4 Ps é bastante conhecida no meio, considerado um clássico do marketing. No entanto, apesar da popularidade, muitas pessoas desconhecem a origem do conceito. 

Os anos 60 foram marcados por diversas pesquisas que visavam definir classificações para as variáveis do Composto de Marketing. Mais especificamente, no ano de 1961, Albert Frey sugeriu que elas se dividissem em dois grupos: a oferta (itens como preço, assistência, embalagem e o produto de maneira geral) e os métodos (abarcando venda pessoal, promoções, propaganda e publicidade, por exemplo).

Em 1962, Lazer e Kelley trouxeram uma nova visão sobre o assunto, sugerindo uma divisão em três fatores: bens e serviços, comunicação e distribuição. No entanto, a definição que realmente se destacou na área é um pouco mais antiga, proposta em 1960. Na publicação “Basic Marketing: A Managerial Approach”, Jerome McCarthy nos brindou com a ideia das quatro variáveis: Preço, Produto, Praça e Promoção.

Embasado nos estudos de McCarthy, Philip Kotler lançou “Marketing Management” em 1967. Nessa obra, Philip alavancou o conceito, popularizando os 4 Ps de uma vez no universo do marketing moderno. 

 

Objetivos dos 4 Ps no marketing 

4 Ps do Marketing

Ok, compreendemos que os 4 Ps são fundamentais para uma estratégia de marketing. No entanto, tudo ainda está no campo das ideias e teorias. Afinal, qual a importância desse conceito? Eles funcionam na prática, quando tirados do papel?

Bem, já adiantamos que a resposta para todas essas perguntas é “sim”. Lembre-se que estamos falando de um conjunto de técnicas que atravessam décadas e não ficam datadas. 

Abaixo, iremos te mostrar os principais objetivos dos 4 Ps de Marketing.

Confira!

Posicionar a marca corretamente

Em primeiro lugar, os 4 Ps do Marketing buscam posicionar a empresa no mercado da maneira que ela deseja ser vista. 

Em outras palavras, eles têm como objetivo externar para o público-alvo os posicionamentos da marca, consolidando-os no imaginário dos clientes. E é justamente por esse motivo que o conceito está intimamente ligado com o branding. Os dois pontos são responsáveis por traduzir as bases e pilares do negócio para os consumidores. 

Uma estratégia realizada sem essas definições pode causar problemas, inclusive perda de capital. A tendência é que o posicionamento da marca não se consolide no mercado da maneira esperada. Quando isso acontece, a percepção que o público tem sobre o negócio é afetada drasticamente. 

Criação de estratégias integradas

Muitos gestores tentam realizar o planejamento de marketing sozinhos, sem auxílio de um profissional na área. Devemos destacar de antemão que essa é uma atitude muito arriscada e que pode trazer problemas para a imagem da empresa. 

Inserir sua instituição no mercado não é apenas divulgar e vender produtos de forma desordenada e afobada. “Método” é a palavra-chave que deve nortear todo o planejamento estratégico de marketing. 

Portanto, é necessário organizar o Composto de Marketing visando sempre o alinhamento e integração de processos. E isso só é possível depois da definição do público-alvo e posicionamento. Quando essas variáveis são definidas, você terá uma base muito mais sólida para estabelecer a imagem desejada para a sua marca. 

Se diferenciar e destacar entre os concorrentes

Especialmente em tempos onde as mídias sociais são grandes vitrines para empresas de todos os segmentos, o mercado encontra-se cada vez mais competitivo. Nesse cenário, qualquer chance de garantir destaque para a sua marca deve ser agarrada de imediato.

Quando você estabelece seu planejamento do Composto de Marketing e solidifica o posicionamento, automaticamente seu negócio já sai na frente de muitos concorrentes que não passaram por essa etapa. É um diferencial que conquistará  espaço no mercado, algo valioso no mundo empresarial hoje em dia. 

Em resumo, os 4 Ps irão fortalecer a imagem e, consequentemente, expor com mais clareza a proposta da sua marca.  

Pontos de contato

Por último, mas não menos importante, elaborar uma estratégia baseada nos 4 Ps do marketing aumentará o seu campo de visão em relação aos contatos com consumidores. Quando o assunto é marketing, normalmente associamos de imediato processos como divulgação da marca e promoções. 

No entanto, o marketing é muito mais do que isso. A forma que o cliente olha para a sua marca e define se irá ou não comprar os seus produtos vai além de um bom desconto, por exemplo. 

O ponto aqui é: o contato e a comunicação com seus consumidores faz toda a diferença. Por isso, é fundamental que você tenha esse canal sempre aberto.

 

Conclusão

E aí, você já conhecia os 4 Ps do marketing e a importância desses elementos em uma estratégia? Apesar de tão popular na área, muitos gestores não dão a devida importância ao conceito. 

Nesse artigo, trouxemos alguns pontos para você refletir e comprovar a eficiência dos 4 Ps em um planejamento de marketing. Afinal, se esse estudo permanece relevante com o passar das décadas, vamos combinar que ele merece no mínimo um voto de confiança para ajudar sua empresa, certo?

Quer mais artigos como esse? No blog da BYB, contamos com um enorme acervo de posts sobre o universo do marketing digital. Acesse esse link e confira! 

Isabelle de Paula

Texto de Isabelle de Paula
26 de julho de 2022

Estamos aqui para ajudar

Precisando de uma solução? Bata um papo com a BYB!

Entre em contato com a gente e entenda como nosso modelo de trabalho pode impulsionar a sua empresa.

Erro 404

Obrigado pela mensagem Em breve nossa equipe entrará em contato.